CPFL implanta sistemas de armazenamento SOLAR

Programa de P&D contemplou também baterias para sistemas solares e envolve investimentos totais de R$ 66 milhões.

(confira nossos preços em www.cineshop.com.br)

Como parte de programa de P&D da Aneel com valor total de R$ 66 milhões, a CPFL Energia implantou sistemas de armazenamento em projetos de energia, alguns deles solares, para testar os impactos da utilização de baterias no sistema elétrico, da geração até o cliente final. Nessa fase do programa, que começou em 2017 e vai até 2022, foram investidos R$ 27 milhões.

Em um condomínio com 47 unidades consumidoras, sendo 27 delas com sistema solar fotovoltaico, a CPFL instalou baterias de 100 kW/255 kWh. Com a geração maior do que a demanda, produzindo excedente, o sistema de armazenamento no condomínio permitirá o uso posterior da energia pelos moradores. Além disso, segundo a CPFL, com o armazenamento será possível realizar o controle da tensão local, suavizar o pico de consumo e aliviar o carregamento da rede de distribuição local. Também foi instalado, com o mesmo propósito, um sistema de armazenamento de 25 kW/75 kWh em um poste de distribuição em condomínio residencial com geração solar FV.

Na rede de postos de combustíveis Graal, a companhia ainda implementou um sistema de armazenamento de energia com baterias de lítio de 200 kW/430 kWh, integrado a um gerador a diesel e a dois eletropostos para a recarga de veículos. A ideia aí é avaliar a viabilidade técnica da substituição do gerador a diesel para permitir, a partir daí, a replicação da solução para consumidores industriais.

Outro sistema de armazenamento em baterias de 1 MW/2 MWh foi instalado na subestação Barão Geraldo, em Campinas (SP), e visou fazer a integração com um alimentador de distribuição. Além de dar mais robustez à subestação no pico de consumo, o objetivo é avaliar a provável maior qualidade do fornecimento de energia, otimizar a integração de fontes intermitentes na rede e facilitar o planejamento de médio e longo prazos para obras e expansões.

Por fim, no Complexo Eólico Campo dos Ventos, da CPFL Renováveis, em Parazinho (RN), um sistema de armazenamento em baterias de 1 MW/1,29 MWh foi implementado para suavizar a curva de geração da energia renovável intermitente. Isso será possível com o armazenamento do excedente de geração, que será fornecido quando houver necessidade. Além disso, estão previstos estudos para valoração dos benefícios dos sistemas de armazenamento.

Fonte: Arandanet